Minha experiência com a psicoterapia

Atualizado: 31 de mai. de 2021


Sim, eu faço terapia.


Fiz em vários momentos da minha vida e, atualmente, estou em processo terapêutico.

Confesso que mesmo sendo psicóloga eu cresci em um meio que não acreditava muito no trabalho da psicologia. Com isso, o meu processo terapêutico foi um pouco difícil no início, por conta de ideias e expectativas falsas que eu construí a respeito da profissão. Uma delas era de que o psicólogo iria me julgar e poderia me influenciar de acordo com suas próprias verdades. Isso para mim foi um problema, porque era difícil confiar e começar.

Todavia, eu sabia que precisava começar, porque é a minha profissão e eu reconhecia que era impossível conduzir alguém se eu mesma não tivesse enfrentado um processo terapêutico com autenticidade. É não foi tão fácil.

Foi então que aos poucos, após algum tempo eu fui me abondando ao percurso. E, quanto mais eu me entregava com sinceridade e dedicação, mais as coisas se transformavam. Eu realmente consegui resolver alguns conflitos em minha vida que estavam pendentes. Fui amadurecendo, me tornei mais forte, mais coerente comigo, sentia mais vigor para agir de acordo com o que estava dentro de mim.


Contudo, eu ressalto que não foi fácil, por isso eu costumo dizer que terapia é um processo. Ninguém faz uma ou três sessões e já está tudo bem e resolvido. E nem ouso dizer que minha vida já está tudo resolvido. Não é bem por aí.

Eu gosto de lembrar que somos seres em construção, precisamos de tempo para curar nossas feridas e mudar nossos comportamentos. E olha, eu precisei de muito tempo para conquistar a segurança em alguns aspectos em minha vida, para tomar decisões importantes. Precisei de tempo para ressignificar experiências doloridas e marcantes em minha vida.

E claro que toda esta construção foi muito bem assistida por uma psicóloga.


Por isso, quero com este post deixar registrado aqui um pouquinho da minha experiência, porque a cada dia mais percebo que estar em terapia é um desafio, haverá momentos muito difíceis e dolorosos, afinal, nem sempre gostamos de olhar para nós, encarar nossas dores, dificuldades ou nos responsabilizar pela nossa história.


Porém, é um caminho libertador, de encontro consigo. E, como diz Clarice Lispector, “o sofrimento é sempre um encontro consigo mesmo: sofrer amadurece”.

Sim, fazer terapia pode ser sofrido, mas, amadurece e te traz para mais perto de você.

Hoje posso dizer que estou colhendo um poucos os frutos da minha entrega no meu processo terapêutico. Sinto que ainda tenho um longo caminho a percorrer, mas, já estou satisfeita com as lágrimas, as dificuldades e as conquistas até aqui. Desta maneira, sigo em construção.


Abraços,

Por Nathália Lopes


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo